Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Começar...

Segunda-feira, 12.10.15

images.jpg

 ...outra vez. A vida resume-se a recomeços.Todos os dias.

Tem alturas que é bom recomeçar.

Alguém me disse: " Não desistas." Juro que fiquei estagnada quando li estas palavras. Existem pessoas que nos deviam conhecer melhor, ainda por cima quando somos daquelas "chatas" que falam imenso e contam tudo. Tudo muda de figura quando deixamos de falar: aqui é que doí. Passamos dias, horas, uma imensidão de minutos a falar, explicar, repetir. Depois tentamos ficar aparentemente chateadas, fazemos aquelas caras mesmo aborrecidas. Como parece não resultar: voltamos a falar. E momentâneamente a coisa parece que funciona, até ao dia que volta ao mesmo. E voltamos a falar. E depois tudo acaba. E imaginem lá quando alguém nos diz: "NÃO desistas!"- Desculpa?!?!? 

É essencial uma característica para que a desistência não aconteça: dedicação. 

Ah! E é mesmo importante saber o que queremos, ok?

 

"Não desista, vá em frente, sempre há uma chance de você tropeçar em algo maravilhoso."

Caio Fernando Abreu

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 12:18

O que dizem os teus olhos?

Segunda-feira, 14.10.13

"Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la." Clarisse Lispector

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 10:39

O que Move o Mundo...

Terça-feira, 27.08.13

O que move o mundo é o Amor. O que move os escritores e os leitores é o Amor. As músicas falam sobre o Amor. O Amor é a "doença" de todos os séculos, passados e vindouros.

Se Amor move o mundo pergunto-me: Onde estão as pessoas apaixonadas?.

Já não vejo pessoas de mãos dadas na rua. Já não vejo os beijos trocados em plena rua fazendo ruborizar qualquer transeunte. Já não ouço: "Arrangem um quarto".

Os casais já não se sentam nas esplanadas olhando-se fixamente com receio que a imagem desapareça se se distrairem com a paisagem. As ruas ficaram desertas de Amor.

As praias estão cheiras de homens e mulheres sós que se fazem acompanhar de livros, rádios e revistas.

O Amor está só.

Já não vejo homens com ramos de flores sorrindo aparvalhados e orgulhosos. Já não vejo as mulheres, quase sem ar, confessando conhecer o principe encantado.

Talvez existam poucos resistentes apaixonados e, provavelmente, estarão quase a desistir devido á responsabilidade: são os últimos.

O alimento humano: o Amor. 

O medo humano: o Amor

Estranha esta humanidade.

"Porque te dá um medo filho da puta: ser feliz, medo de amar, medo de ser bom. Tudo que faz bem pra gente, a gente tem medo."

Cazuza

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 10:01

Amas a ideia...

Sábado, 24.08.13

- Amo-o - disse ela.

- Amas o quê? Ama-lo, como é, ou amas a ideia que tens dele?.

A resposta é, sempre, muito estranha - não gosto como me trata, mas...

Fico sempre surpreendida, deveras surpreendida (mesmo), quando ao fim de alguns anos (por vezes, meses), de namoro, (quando o relacionamento chega ao: vai ou fica), as pessoas não sabem o que sentem pela pessoa na actualidade (agora). Nessa altura: hoje, têm de fazer uma actualização, backup, a tudo o que passaram (bom ou mau):sentimentos; comportamentos; tudo é decisivo. Pensar: quem é esta pessoa - hoje. Nunca a ideia que temos da pessoa - no passado. Quando esta avaliação é -  honestamente - avaliada: um novo mundo é criado dentro de cada um de nós. O sentimento de perda é avassalador: palavras; passeios - rotinas, tudo se transforma em desconhecido. Voltamos a nós. Nós; nós passa a - eu. Ficamos sem rede; sem pé. O cérebro está formatado para enviar desculpas atrás de desculpas (estupidamente), perservando-nos do sofrimento; agora; e agora; e agora, até conseguirmos perceber que são desculpas: repetimo-nos.

A ideia que temos de alguém; romântico; cavalheiro; conquistador; surpreendente, fica lá atrás; no começo de tudo - da paixão. É sempre assim. Se as pessoas não pensassem em casar na fúria da paixão, certamente, haveria menos divórcios.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 11:57

Um Grande Amor...

Quinta-feira, 22.08.13

- Gostava de viver um grande amor. - Disse-me ela, colocando a palma da mão direita no coração.

O que é, viver um grande amor, afinal? É sentir amor, perdidamente, por alguém e depois chorar por o perder? Mas quantos amores temos de viver para saber que, este ou aquele, é mesmo o grande amor?

Só a frase: "gostava de viver um grande Amor"; é finita; curta;fechamos os olhos e atiramo-nos e seja o que Deus quiser?

Se o grande amor for curto: digamos um ano. Acaba. E depois? Já não pode haver mais nenhum grande amor? 

As pessoas passam pela nossa vida com diferentes propósitos: para aprendermos; para nos ensinar; para nos chatear e talvez para amar. Amar é um sentimento muito forte e profundo, cuja definição é impossível descrever.

Mas a minha dúvida permanece: O que é um grande amor? Só temos, na vida, um grande Amor? 

 

Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.

Machado de Assis

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 22:54

O medo dos homens...

Segunda-feira, 12.08.13

- Vou para a borga, se quiseres passa por lá!

Foi assim que um homem me convidou para sair no sábado. Não é normal! 

Os homens já não são cavalheiros. Estão com um cagaço do caraças, de nós, mulheres! 

Todas nos queixamos deles: são uns cobardolas; estão emocionalmente afectados; até para irem para a cama com uma mulher se enervam. Estes são os homens do nosso século. Não querem compromissos. O medo apoderou-se dos seus cerebros.

Já não se vêm casais de mãos dadas na rua, já não se vêm bocas coladas em longos línguados que fazem qualquer um se envergonhar. Os homens não estão preparados para aceitar uma mulher independente, dona do seu nariz, dona do seu dinheiro. A posição de destaque que usufruíam na sociedade, sexo forte, caíu por terra, como fruta madura caída nas árvores, não sabem qual o papel a desempenhar num mundo de mulheres decididas.

Há cada vez mais mulheres sozinhas nas ruas, nas praias, nos cinemas e com casa própria. Isto é assustador. Devo assumir, desculpem mulheres, que se chegou ao exagero. Nós não somos nada como os homens. Nascemos para ser conquistadas, mimadas e frágeis, sim frágeis, não me levem a mal, eu ainda gosto da ideia do principe encantado montado no cavalo branco, de me abrirem a porta do carro, de me perguntarem se estou com frio; o homem que despe o casaco para mo colocar nos ombros quando tenho frio é das imagens mais românticas que posso imaginar. 

O limite foi ultrapassado, os jovens já estão neste patamar, os homens de trinta anos são inseguros, os de quarenta têm coragem quando limitados por um computador, ao vivo e a cores, tremem como varas verdes. 

O amor também está em crise e cheio de austeridade. 

 

"O amor não prospera em corações que se amedrontam com as sombras."William Shakespeare" 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 13:07

Equilíbrio...

Segunda-feira, 12.08.13

- Eu sei como sou! - disse-me ela com toda a certeza do mundo.

- Tens 33 anos e sabes como és? Que sortuda! - disse-lhe eu. Olhou-me, fixamente, sem saber bem o que aquelas palavras queriam dizer.

Só sabemos, muito bem, quem somos quando somos "obrigadas" a fazer o que não queremos. Saber viver é uma arte que se aprende com a vida, ou melhor, com a parte difícil da vida. Precisamos de ouvir muitos "nãos" para presistir nos "sins". E dói, arde ser contrariada. Depois da dor vem a negação. Lutamos, esperniamos, enfrentamos. A aceitação é inevitável. A primeira vez é sempre difícil. Aprendemos, verdadeiramente, quais as batalhas que devemos travar para ganhar a guerra. Conhecemos-nos mais um pouco e até nos espantamos: como é que eu não sabia que era capaz de aceitar uma situação destas? As experiências somam-se, umas atrás das outras, boas e más. As boas também contam, mas não têm tanto impacto. As más ensinam-nos o que não devemos repetir ou com quem não devemos privar. Os anos vão passando, as lágrimas vão secando, a força vai aumentando, mas temos de ter cuidado para não deixarmos de sentir. Alerta, temos de estar alerta para não perdemos o nosso interior; a paz; o amor; a alegria. Tirar só o positivo de fora para dentro, alimentar o interior.

- Não sou capaz de aceitar que ele me deixe. - as lágrimas caiam grandes e grossas pela sua face.

- Hoje não, mas amanhã aceitarás e aí, aí vais conhecer um lado teu que, hoje, não sabes que existe. 

"O homem, essa criatura que aspira ao equilíbrio, compensa o peso do mal com que lhe partem a espinha, com a massa do seu ódio."

Milan Kundera

 

 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 02:15

Finjo que me tens amor...

Sexta-feira, 19.07.13

Despe-me devagar, muito devagar, como se eu fosse vidro frágil. 

Sente-me em ti, profundamente, como a saudade que doí.

Demora-te em mim, lentamente, como desapertasses mil botões. Demora-te em mim. Eu mereço que te demores em mim.

Cega-me de prazer, cega-me os sentidos.

Deseja-me a alma, confunde-me o pensamento, cada pensamento, todos os pensamentos.

Possuí-me, finge que me amas e possuí-me. Quero que finjas que me amas. 

Liberta-te, dá-me, dá-me tudo o que tens, dá-me tudo o que és.

Sussurra-me as palavras, as palavras que entram por mim adentro e retesam o meu ser.

Entra por mim adentro e faz-me gemer os sentidos enquanto te grito por mais. 

Finge que eu não sou eu, eu sou outra que não conheces, não conheces o meu corpo, não conheces a minha alma, não conheces o meu amor. Tu, simplesmente, não me conheces. Esta não sou eu.

Abandonas o meu corpo, pesado e cheio de ti, cheio desse amor fingido.

Depois finje, mais uma vez, que me amas e protege-me do frio, protege-me desse amor que sinto por ti.

Eu continuo a fingir que ainda me amas, mesmo sabendo, que tu não és tu, tu és já de outro alguém.

Eu finjo que me tens amor mesmo sabendo que já não me tens.


"No adultério há pelo menos três pessoas que se enganam."

Carlos Drummond de Andrade

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 13:31

A primeira vez para tudo...

Sexta-feira, 05.07.13

- Acho que tenho medo de ser feliz!!!

Foi a primeira vez que ouvi esta expressão. A primeira vez.

- Desejo-te muito, mas...não consigo!!

Também foi a primeira vez que ouvi esta expressão. A primeira vez.

Não existe no mundo melhor cura para qualquer maleita do que o Amor. Amor de verdade. Mas fugir é a melhor opção. Fugimos da cura.

A alma adoece, logo, o corpo adoece.

Estar vivo é um acto de coragem, como o amor é um acto de luz, mesmo que traga dor, mesmo se fôr só um momento, mesmo se fôr só agora. 

"Não consigo" não se diz, pensa-se mas não se diz. Ao pronunciar "Não consigo" destrói-se o pouco que se consegue e é tão pouco que não fica nada, a não ser, o resto do nada. E o resto de nada é muito pouco para se viver. Não se luta, não se arrisca, não se sente, não se ultrapassa o nada. Vegeta-se. 

Não consigo entender, mesmo que faça um esforço, mesmo que não se deva dizer "Não Consigo", a capacidade que o ser humano tem de se diminuir ao nada, quando tem tudo para ser o tudo que sonha.

 

"O medo ergue murros e bandeiras para nos deter" Mafalda Veiga


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 08:40

Responsabilidade...

Segunda-feira, 01.07.13

As mulheres quando se juntam falam sobre tudo, tudo mesmo. E numa dessas conversas, estávamos a falar de relacionamentos, umas diziam que queriam encontrar o homem das suas vidas, outras diziam que é difícil a vida em conjunto e uma delas com uma grave determinação disse.

 

- Não quero ter ninguém por enquanto, não estou disponivel para me responsabilizar pelos sentimentos de outra pessoa.

 

Fiquei a pensar naquilo. Quando amamos alguém de verdade não gostamos de a ver sofrer, tentamos sempre fazê-la feliz, escolhemos as melhores palavras, damos o melhor de nós, deixamo-la partir se essa fôr a sua vontade, pedimos desculpa se agimos menos bem. Responsabilizamo-nos pela sua felicidade.

 

As pessoas estão demasiado egoístas, sedentas de amor mas demasiado egoístas para se responsabilizarem pelo sentimentos dos outros. Querem ser conquistadas, querem ter cem por cento de certezas correndo o mínimo de riscos, preferem a vida cómoda e rotineira para não sofrerem desgostos e traições. 


Pelo menos existem aquelas, como a minha amiga, que assume não querer essa responsabilidade, não só dá trabalho como a maioria dos homens exige o que não pode ou não quer dar, dedicação, compromisso, amor e lealdade. 


"Nunca desista de um amor simplesmente por causa dos obstáculos."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por caminhosdaalma às 00:42





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031


CONSULTAS DE TAROT

O Tarot é apenas uma ferramenta que nos ajuda nas diversas áreas da nossa vida. Poderá fazer uma pergunta grátis enviando o seu primeiro e ultimo nome e a data de nascimento através do mail mafavisi@sapo.pt



links

Outros Caminhos

Previsões Tarot



comentários recentes




subscrever feeds